Spotlight: informing decisions about how to bring stability to Guinea-Bissau

2017-06-21

Para a versão em Português, clique aqui

Guinea-Bissau has been grappling with political instability since August 2015. The ISS is partnering with the United Nations Integrated Peacebuilding Office in Guinea-Bissau (UNIOGBIS) to find lasting solutions to the problem.

‘The ISS is a key partner to support our work,’ says Modibo Ibrahim Touré, Special Representative of the UN Secretary General and head of UNIOGBIS. ‘Together, we are committed to support the Economic Community of West African States in its efforts to facilitate a sustainable resolution of the crisis in Guinea Bissau.’

ISS research will inform policy papers on the reforms envisaged in the Conakry Agreement, with the input of experts including from Guinea-Bissau. ‘Beyond the actual political crisis, such reforms are necessary for the long-term stability of Guinea-Bissau,’ says Lori-Anne Théroux-Bénoni, ISS Office Director in Dakar. The papers will be discussed by key political and civil society stakeholders at a workshop later this year.

'The ISS is a key partner to support our work' – Modibo Ibrahim Touré, head of UNIOGBIS

The ISS has also facilitated networking and peer-learning for two Guinea-Bissauan research institutions, the National Institute of Studies and Research (INEP) and the National Defense Institute (IDN), who visited ISS offices in Dakar and Pretoria.

They also visited other Dakar-based organisations and research institutions, such as ECOWAS the Inter-governmental action group against money laundering in West Africa (GIABA), the Center for Advance Defense and Security Studies (CHEDS) and the Council for the Development of Social Science research in Africa (CODESRIA).

‘These visits were very important for us to build our network with other research organisations and foster potential partnerships. We need to partner to generate policy on the crisis that also takes the regional dimension of the problem into account,’ says Professor Leopoldo Amado, director general of INEP.

Augusto Mário Có, president of IDN adds that, ‘Our mandate is ambitious and we can play a key role in the design of appropriate defense and security policy that our country needs. With the support of the ISS and other partners, we are confident that we will be better placed to fulfill our mandate’.  

Two young Guinea-Bissauan researchers have been at the ISS Dakar office since March 2017 as part of the capacity-building component of the project. ‘This experience has allowed me to develop professionally and I will return to Bissau with additional skills to support policy research in my country and beyond’, says Isis Semedo, researcher at INEP.

Paulino Biaguê, an activist at the Human Rights League of Guinea-Bissau, says, ‘My time at ISS Dakar has allowed me to better understand key political, economic and development issues in Guinea-Bissau, and to enlarge my network of research institutions and civil society organisations’.

By combining research, capacity building and networking, the ISS and its partners will provide regional and international decision makers working on Guinea-Bissau with information to tackle the country’s challenges.

For more information contact:

Lori-Anne Theroux-Benoni, ISS: +221 338603304, lbenoni@issafrica.org

Picture: Ólafur Páll Geirsson

______________________________

Spotlight: Esclarecer os processos de decisão para estabilizar na Guiné-Bissau

O ISS contribui nos debates sobre as reformas institucionais que o país necessita.

 A Guiné-Bissau passa por um período de instabilidade política desde agosto de 2015. O ISS associa-se ao Gabinete Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau (UNIOGBIS) para encontrar soluções sustentáveis para o problema.

"O ISS é um parceiro fundamental para apoiar o nosso trabalho", declara Modibo Ibrahim Touré, Representante Especial do Secretário Geral da ONU e chefe do UNIOGBIS. "Juntos, nós nos empenhamos para auxiliar a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental em seus esforços para facilitar uma resolução durável para a crise política na Guiné-Bissau".

Os trabalhos de pesquisa do ISS são levados a cabo através da participação de especialistas, inclusive os da Guiné-Bissau. Tomarão a forma de nota de análise que vão trazer esclarecimentos sobre as reformas previstas pelo Acordo de Conacri. "Além da crise política atual, essas reformas são necessárias para uma estabilidade sólida da Guiné-Bissau", disse Lori-Anne Théroux-Bénoni, Diretora do Gabinete do ISS em Dakar. As notas de análise servirão de base para as discussões no atelier, previsto para o final deste ano, que reunirá os principais atores da senda política e sociedade civil.

O ISS é um parceiro fundamental para apoiar o nosso trabalho – Modibo Ibrahim Touré, chefe do UNIOGBIS

O ISS apoia igualmente os centros de pesquisa na Guiné-Bissau através de possibilidades de networking e de partilha de experiências. Assim, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa (INEP) e o Instituto de Defesa Nacional (IDN), visitaram os escritórios do ISS em Dakar e Pretória.

Também tiveram sessões de trabalho com outras organizações e instituições de pesquisa sediadas em Dakar, nomeadamente com o Grupo de ação intergovernamental da CEDEAO contra o branqueamento de capital (GIABA), o Centro de Altos Estudos em Defesa e Segurança (CHEDS) e o Conselho para o Desenvolvimento da Pesquisa em Ciências Sociais em África (CODESRIA).

“Estas visitas foram muito importantes para nos permitir desenvolver relações vantajosas com outros centros de pesquisa e evidenciar parcerias. Devemos unir os nossos esforços para fornecer uma análise sobre a crise que também tem em conta a dimensão regional do problema", diz o professor Leopoldo Amado, Diretor Geral do INEP.  

O General Augusto Mário Có, presidente do IDN, acrescenta: "O nosso mandato é ambicioso e podemos desempenhar um papel fundamental na conceção de políticas adequadas de defesa e segurança, que o nosso país precisa. Com o apoio de ISS e demais parceiros, estaremos muito mais capacitados para cumprir o nosso mandato".

Dois jovens investigadores da Guiné-Bissau estão no escritório do ISS de Dakar desde março 2017 no quadro de reforço de capacidade do projeto. "Esta experiência me permitiu crescer profissionalmente e eu voltarei para Bissau com competências adicionais para apoiar a investigação sobre as políticas no meu país e além", diz Isis Semedo, pesquisadora do INEP.

Paulino Biaguê, ativista da Liga Guineense dos Direitos Humanos, diz que “o meu trabalho no escritório do ISS Dakar permite-me compreender os principais problemas políticos, económicos e de desenvolvimento da Guiné-Bissau e expandindo assim a minha rede profissional”.

Alinhando a pesquisa, o reforço de capacidade e o networking, o ISS e os seus parceiros fornecerão aos decisores regionais e internacionais que trabalham sobre a Guiné-Bissau, informações para que possam empreender melhor os desafios que o país enfrenta.

Para mais informações contactar:

 Lori-Anne Théroux-Bénoni, ISS: +221 338603304, lbenoni@issafrica.org

Foto: Ólafur Páll Geirsson

feature-5icon-printerlogo-chlogo-fr